quarta-feira, outubro 18, 2006

Não, não é o dia mundial da luta contra a Sida..
Não, não sou escorpião..
Não, não sofro de aracnofobia..
Não, não é nenhum "fetiche" meu..


Deixo aqui esta imagem e uma questão:

- Até que ponto esta doença contribui ou tem contribuido para o aumento da fidelidade entre os casais?

Pergunto: - Deveria ter alguma coisa a haver com o caso? Tem? Notam alguma diferença?

Reparem, o normal (segundo sei, devido à minha parca experiencia de vida..) é que os casais (refiro-me a relações que aparentam ter alguma estabilidade..) que usam preservativo, o fazem unica e exclusivamente para controlo da natalidade..
Tiro daqui a conclusão (estamos a generalizar.. ok?) que o fazem porque têm confiança um no outro.. o que quanto a mim é fundamental numa relação.. é um dos pilares..

Contudo, todos nós sabemos que a traição existe.. sempre existiu.. e provavelmente irá continuar a existir, pelo menos enquanto os porcos não ganharem asas.. (ou talvez mesmo até depois disso..)

Calculo que todos nós conheçamos (de mais perto.. ou menos longe.. hehe) casos de infidelidade..


Deveremos continuar a colocar as mãos no fogo pelo nosso mais que tudo ?? Fazer exames não é prova de desconfiança? E os exames servem para alguma coisa ??

Ouvi à pouco numa conversa de café uma rapariga : " - Eu cá detesto preservativo.. não tem nada a haver.. é por isso que só faço sexo com parceiros certos.. de confiança.."

Pois..

Amigos, brindem-me com a vossa opinião e levantem questões ser acharem por bem..
Abraços.. ;)

10 comentários:

LuciaLourenço disse...

Pois é, primo, vivemos numa sociedade de opostos!
Certa vez ouvi uma senhora já com idade para ter juizo dizer que não conseguia sentar-se junto de pessoas com "aspecto duvidoso" porque ela tem a certeza que têm doenças que se transmitem pelo ar!!
Pois... doenças como a SIDA não se transmitem pelo ar,nem por estarmos sentados ao pé de pessoas infectadas... e, depois, as "pessoas de aspecto duvidoso" não são aquelas que têm,exclusivamente, doenças graves...
Infelizmente, a SIDA já afecta todos os tipos de pessoas...

Eu sou a favor do uso de preservativo, acho que é um gesto simples que pode ajudar a "controlar" este flagelo...

Em termos de uma relação a dois, acho que nenhum dos parceiros deve encarar o uso de preservativo e os testes de rastreio como sinal de desconfiança, muito pelo contrário!!

Visi disse...

Um assunto controverso...

Bem, para mim o facto de haver cada mais infidelidade comprova que a sida não está a unir os casais, muito pelo contrario!

O facto da sida existir, o facto de estarmos cada vez mais informado, sensibilizados, CONSCIENTES, não diminui o risco de se contrair com facilidade porque á medida que o sexo vai sendo BANALISADO, mais procurado por ambos os sexos, paralelamente os contágios vao aumentando.

É QUE, QUANDO CHEGA A HORA "H", A CONSCIÊNCIA FICA EM SEGUNDO PLANO.OU SEJA, POR MUITO CONSCIENTES E EDUCADAS QUE AS PESSOAS ESTEJAM, NO SENTIDO DE PREVENÇÃO,A EXCITAÇÃO TOMA CONTROLO E AÍ É QUE "A VACA TOSSE", não sei se me estas a perceber;D....


O PRINCIPAL PROBLEMA PASSA PELA VONTADE DESENFREADA PELO SEXO AVENTUREIRO....O RESTO SÃO....DOENÇAS!!!

Visi disse...

Ahh...quanto aos casais (casados!), se não houver caso de desconfiança em que algum "pula a cerca" não vejo razão para se usar preservativo.Até porque "NÃO É A MESMA COISA".

algevo disse...

Quem vê caras não vê corações. Lá diz o ditado. E aqui é exactamente o mesmo. Já alguém se sentou à porta de um serviço de infeciologia? Ou à porta de um CAT? Eu fiquei profundamente impressionada. Especialmente porque tenho sobrinhos numa idade em que é frequente a descoberta do sexo. Os casais não são mais fiéis por receio das DST, não...até porque as gerações mais atingidas pelo HIV - neste momento - são os jovens adultos(muito poucos casados), que têm ainda um síndrome de "só acontece aos outros" e a geração dos cinquentões (muitos divorciados)... que sofrem do síndrome do "nesta idade isso não acontece". O uso do preservativo é essencial para quem ainda não fez e até fazerem o rastreio... e ninguém tem que levar a mal... alguém se quer deitar com todos os parceiros do parceiro??? Até se mete as mãos no fogo pelo parceiro, mas, e por todos os outros parceiros do parceiro, também se arrisca a queimar?

Nani disse...

Até que ponto esta doença contribui ou tem contribuido para o aumento da fidelidade entre os casais?
- A contribuição é zero, nicles, népia, nestum e cerelac.

Pergunto: Deveria ter alguma coisa a haver com o caso? Tem? Notam alguma diferença?
- Don´t be silly! Não te vou pôr os cornos porque não quero apanhar SIDA?!?! That’s the real love?!

Deveremos continuar a colocar as mãos no fogo pelo nosso mais que tudo?
- Nunca devias era ter posto!

Fazer exames não é prova de desconfiança?
- Desconfiança de quem, da tua mulher, da tua amante, ou de ti?

E os exames servem para alguma coisa ???
- Caso seja positivo, podes sempre vingar-te do mundo (…i’m not in a good mood!)

EMN disse...

Primo:
A infedilidade para mim é uma questão muito díficil de falar. Tenho ideias muito explícitas e portanto posso ser encarada como "quadradona" na matéria. Isto porque para mim é algo que não me entra na cabeça. Bom mas não estou aqui para falar de infedilidade.

Não acho que deva ser encarado como desconfiança, o facto de se querer precaver contra os males do nosso século. Se amarmo-nos a nós próprios é desconfiar do próximo então há algo de errado na prioridade das pessoas. Se calhar é o facto de se colocar a questão, ou fazer o pedido.
Deveria partir da pessoa que infelismente contraiu tal mal, dar um passo à frente e dizer. Se fossem sinceros do príncipo não necessitavam ficar constragidos com a situação. Mas acredito que seja difícil para uma pessoa admitir possuir uma doença que por si só afasta as pessoas. Parece que só o falarem do assunto já contraeem a doença. É um bocado de ignorância em não quererem enfrentar o caso como existênte e mais perto do que nos parece.
Mas é sempre muito complicado. É muito bom chegar aqui e mandar bitaques dizendo o que deveria ser feito, mas numa situação destas é sempre muito dificil agir da maneira mais correcta.

Primo é difícilllllll

jokas grandes

emn***

Bruno Moutinho disse...

Essa do fazer sexo com pessoas de confiança tem muito que se lhe diga.
Eu de momento não uso preservativo porque estou com a mesmo pessoa há muito tempo. Sei (e ponho as mãos no fogo) que me é fiel, porque ambos defendemos um determinado ideal (que penso que deveria ser igual para todos os casais). Defendemos o ideal de terminar a relação antes de fazer o que quer que seja ou avisar mesmo.
Para todos os efeitos fazemos exames todos os anos, não por desconfiança, mas porque o virus da sida não se transmite apenas por relações sexuais.
O que eu acho mais piada (que não tem piada nenhuma) é que os homossexuais, aqueles que sempre foram acusados de maiores transmisores do HIV, aqueles que mais contribuiam para a sua propagação, são os que, na realidade, menos comportamentos de risco têm. Mesmo não havendo o risco de engravidar, conhecem os outros riscos. No caso dos heterossexuais, a maioria, usa pelo risco da gravidêz, esquecendo-se que existem outras coisas para alem disso.

Bom post.

Abraços

Bruno Moutinho disse...

Já agora, as imagens são muito originais ;)

cusca disse...

Eu não perdoou uma infidelidade, pelo simples facto de depois nao confiar mais na pessoa em questão.

Bj**

BroTTas disse...

mais um assunto de contornos bicudos... em quem e que se pode confiar?.... ser que uma pessoa em plena excitação se lembra do preservativo?... sexo com e sem é igual?.... muita coisa entra em jogo aqui... eu cá sou a favor do uso... e não acho que pedir para usar, e fazer os testes seja questão de desconfiança, mas sim de precaução, como já alguém aqui disse não só são as pessoas com aspecto duvidoso que apanham a sida...