terça-feira, outubro 10, 2006

Sem-abrigo...


Ontem de manhã, quando ia a caminho do emprego, ao folhear o jornal deparei-me com esta imagem..

Desde logo me tocou.. fiquei sem palavras (mesmo que as tivesse não diria nada pois ia sozinho..) e apoderou-se de mim um sentimento lindo.. porém triste..

Esta fotografia realmente mexe comigo.. leva-me para tão longe...
Faz-me recordar um livro que li de Paul Auster, "Timbucktu"..
Faz-me recordar um filme lindo, "Favores em cadeia"..

Leva-me a pensar no valor das coisas.. nas vicissitudes da vida.. na sorte.. no que podemos ou não fazer..

Quem sou eu para julgar este pobre homem? Que sei eu da sua vida? Como pode alguém dizer que "ele está assim porque quer.. ainda é novo.. tem bom cabedal pra trabalhar.." ??
Quantas e quantas vezes tenho assistido, ao longo da minha (breve.. breve..) vida, a mal-entendidos.. más interpretações.. juízos precipitados.. mudanças de opinião..

Qual de nós é que nunca passou por uma situação do tipo:

Um casal amigo zanga-se.. vem ele e desabafa conosco...
- Bla bla bla.. e ela fez isto... e bla bla bla.. e depois ainda disse que... bla bla bla..
E nós ficamos a pensar:
- Realmente.. como é que ela foi capaz?? Nunca pensei.. Como as pessoas enganam..
Contudo, ela como nossa amiga, combina um cafesinho pra desabafar.. e começa:
- Tu acreditas que ele foi capaz de... bla bla bla.. e depois ainda teve a lata de.. bla bla bla..
E nós damos por nós a pensar:
- Realmente.. como é que ele foi capaz?? Nunca pensei.. Como as pessoas enganam..
Mais tarde.. eles aparecem (caso nós não tenhamos dito o que não deviamos..) de mão dada, aos beijinhos.. e nós damos por nós a pensar:
- Realmente.. como é que eles foram capazes?? Nunca pensei.. Como as pessoas enganam..

Amigos o que quero transmitir com este exemplo é que dependendo da perspectiva, as coisas podem parecer-nos completamente diferentes.. (Se não viram vejam um filme espectacular passado praticamente sempre dentro de uma sala e que tem tudo a ver com o que estou aqui a dizer... "Os doze jurados")

É por isto que eu digo: - Quem sou eu para julgar uma pessoa sem sequer a conhecer? Sem sequer falar com ele.. ouvir a sua história? Que direito tenho eu de apontar o dedo e de me achar superior? De achar que não tive mais sorte na vida, que soube foi aproveitar as oportunidades e que fiz por ter e merecer a vida que tenho? Quem sou eu..??

Conselho: Quando pudermos e sentirmos vontade de ajudar alguém (condições para mim indespensáveis..) , façamo-lo, mas às escondidas..

Vão ver como é gratificante.. :D

Um abraço a todos os que querem contribuir para um mundo mais azul...

Nota: Esta imagem foi retirada do Site oficial do Jornal Destak e diz respeito a uma notícia sobre uma "torné" que o nosso Presidente fará nos próximos dias pela capital.. De referir ainda que a notícia dá conta de existirem, só em Lisboa, cerca de 931 sem-abrigo, 432 dos quais a viver na rua... ora eu pergunto: "Então onde vivem os outros 499 sem-abrigo? Num abrigo??? ;)

8 comentários:

LuciaLourenço disse...

Realmente... quem somos nós para julgar quem quer que seja...
Como eu digo, uma história tem, pelo menos, duas versões...pelo que eu nem "comento" quando conheço as, pelo menos, duas partes!!

Boa reflexão, primo!!

xujana disse...

Infelismente nao tenho a mesma visao que tu :( e digo infelismente pk tb ja a tive, e acredita que gostava de ainda a ter. Em determinada altura da minha vida fiz voluntariado nao com sem abrigos mas sim com crianças com realidades um pouco complicadas e a grande maioria, nao das crianças claro pk essas sao uns amores so kerem alguem que goste delas, mas os pais nao kerem ser ajudados e pior nao kerem que os filhos sejam ajudados. E quando nao tens um iogurte para dar ao teu filho o orgulho torna-se ridiculo ... e nessas alturas é inevitavel para quem presencia julgar ... a vida por vezes é mt complicada e infelizmente nem sempre é tao azul como gostaria-mos.

GOstei do post :)
beijo
XU

uma semente disse...

MUITO MADURA ESTA TUA FACETA!!!

FIZESTE UMA BOA ANALISE DE QUÃO PEQUENOS SOMOS, E QUE FACILIDADE TEMOS EM FAZER JULGAMENTOS.

MAIS QUE POBREZA FINANCEIRA, ESTE HOMEM (E MUITOS OUTROS) TEM UMA GRANDE POBREZA NO SEU ESPIRITO. O QU TERA LEVADO A CEGAR A ESTE ESTADO? NATURALMENTE CRESCEU NUM SEIO FAMILIAR DEGRADANTE....OU TALVEZ NÃO! QUANTOS LETRADOS, ENGENHEIROS,....CHEGAM A ESTE "ESTADO DE ALMA"???

VELE MESMO A PENA PENSAR NISTO!

(ATÉ AQUELES SEM-ABRIGO POR OPÇÃO-PORQUE OS HÁ!- TÊM DE TER UMA "RAZÃO"...OU SERÁ QUE NÃO??


20 ESTRELAS PARA ESTE TEMA E DESENVOLVIMENTO!

uma semente disse...

O ponto de vista da xujana é muito real,por outro lado!!!è uma realidade.

Mas o que será que leva as pessoas a não querer ajuda? Eu sinto essas coisas todas: revolta, indignação, por vezes até uma certa "raiva" das pessoas serem assim...mas....temos de ver o CENTRO DO PROBLEMA!


O MAL DO SER-HUMANO É PRIMEIRAMENTE ESPIRITUAL...DAI TANTAS COISAS EXTERIORES(ATITUDES) ESTAREM PODRES!

BroTTas disse...

Ois e a primeira vez que passo pelo teu "sotão" e nao resisti a comentar este post.... esta na nossa natureza julgar as pessoas pelos nossos padrões de vida, pelas nossas ideologias, muitas das vezes esta maneira de pensar leva-nos a não compreender o outro lado.... eu tento sempre ver os dois lados por isso muitas das vezes me chateiam pois sou sempre do "contra" tento defender sempre um lado que as vezes até não é o meu.... para perceber se existe algum lado que eu possa aproveitar do outro lado...
um abraço

Bruno Moutinho disse...

Concordo. Mesmo conhecendo algumas versões das histórias, acho que o mais indicado é nem fazer-mos juizos. Não nos podemos esquecer que, ao criticar os outros, essas críticas e juízos também se podem virar contra nós. "Todos temos telhados de vidro".

EMN disse...

Acho que estives-te muito bem neste teu post. Mas o que me faz pensar é mais a nível do carinho que o cão me desperta. O facto de ele estar aninhado no colo do seu dono e amigo faz-me querer chorar. Mas não é de tristesa, é por ternura, pois é esta mesma palavra que me vem à cabeça.

Eu sou muito sensível no que toca aos animais, acho que precisavam de ser mais protegidos, mas isto já era outra conversa.

Quanto ao teu pensamento, concordo. Não somos ninguém para julgar quem quer que seja.

beijos grandes

emn***

Anónimo disse...

Cafezzzzzzinho! ;-)

BJS